1º dia - Bike105

Ir para o conteúdo

Menu principal:

1º dia

Aventuras > Caminho Português Santiago
Barcelos - Tui (01/11/2002)

Às 05.30h tocou o despertador, levantei-me e fui tomar de imediato um banho para tentar acordar de uma noite mal dormida, seguidamente o Nuno (meu companheiro de quarto) também se levantou e arrumamos toda a tralha. Estranhei os dois restantes elementos o Luís e o Fernando não terem já batido à porta do nosso quarto, então resolvi eu fazer esse mimo , para grande surpresa minha tinham adormecido. Então o Luís que é aquele que sempre deseja iniciar os passeios dominicais às 07h da manhã (no máximo) tinha adormecido, bonito...

Após este atraso e depois de pagar hotel e recolher a bicicleta do Magalhães que mora em Braga e já nos aguardava à porta do hotel, partimos para Barcelos. Após preparar e acondicionar a carga nas bicicletas partimos para Barcelinhos na esperança de tomarmos o pequeno almoço e colocar o primeiro carimbo nas Credenciais. Como nem no café nem nos bombeiros tinham carimbo não restou outra hipótese de carimbar as Credenciais na GNR que simpaticamente acederam a realizar esta tarefa.

Foi com alguma dificuldade que encontramos as indicações do caminho para sairmos de Barcelos, após este inicio atribulado e até ao final deste dia não tivemos mais problemas deste tipo. Até Ponte de Lima o trajecto não oferece dificuldades de maior e foi nesta simpática cidade que resolvemos parar para "almoçar" e mais uma vez com dificuldade colocar mais um carimbo nas Credenciais. Retomado o percurso iniciaram-se as dificuldades com a parte mais difícil destes três dias a ser transposta alguns quilómetros antes de Valença, em que foi necessário carregar literalmente com bicicletas e bagagens, aqui socorri-me do dos restantes companheiros de aventura pois senti sérias dificuldades de empurrar a minha bicicleta. No entanto as dificuldades neste dia ainda não tinham acabado, antes de alcançarmos a cidade fronteiriça tivemos mais uma barreira a vencer, uma Feira bastante concorrida que impossibilitava a normal progressão mesmo de uma bicicleta. Em Valença carimbamos mais uma vez as respectivas Credenciais e optamos, devido ao aproximar da noite, em dormirmos no Albergue de Tui.

Já por terras espanholas, em Tui mesmo depois de perguntarmos na Policia Local sobre a localização do Albergue não foi fácil de o encontrar. Ao chegarmos ao local do Albergue, talvez devido à nossa inexperiência nesta coisas, ficamos preocupados quando a porta se abriu ao simples e normal bater à porta. Entramos a medo pois estávamos a entrar em casa alheia, mas rapidamente percebemos as regras ao lê-las pois estavam visivelmente afixadas na entrada do Albergues. Depois de nos instalar-mos e guardarmos as bicicletas tivemos direito a um reconfortante e excelente banho quente, quanto ao Albergue devo sublinhar aqui o seu estado de absoluta limpeza. Este facto levou-nos no dia seguinte e após retirarmos a nossa tralha para fora do Albergue para além de carimbarmos as Credenciais também trabalharmos de esfregão na mão de forma a deixar o Albergue tão limpo como o tínhamos encontrado. De referir que nesta noite fomos os únicos inquilinos deste Albergue, também motivo de conversa dessa noite foi o que seria de uma casa deste estilo: limpa; com banho quente; cama com cobertor, tudo disponível gratuitamente se situada em Portugal... 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal