3º dia - Bike105

Ir para o conteúdo

Menu principal:

3º dia

Aventuras > De Alforges pelo Minho
 Monção - Viana do Castelo Distancia: 73 Km

“Não há duas sem três e há terceira é de vez”

Mais um inicio de dia molhado. Faço btt todo o ano, chova ou faça sol, mas confesso que já estava a saturar com o tempo. A minha grande surpresa, eu diria, enorme surpresa, era o facto da minha esposa estar a enfrentar a situação com grande obstinação. Em nenhuma das vezes que apresentei a hipótese de voltarmos de carro a Viana do Castelo, ela aceitou.

Saídos de Monção rodamos direcção a Valença. Durante o percurso reparei em algumas placas anunciando uma Eco Via em construção mas como não existia mais nenhuma informação continuei por estrada. Neste troço foi onde encontramos pior tempo, com chuva e vento frontal, indescritível. Alguns quilómetros antes de Valença reparei numa estrada, estreita para dois carros, que seguia paralela à movimentada N13, optei por entrar nela e seguir por ai. Foi com surpresa que pude confirmar que a mesma vai até à linha de ferro em Valença, utilizando aquilo que me pareceu ser uma antiga linha de comboio desactivada. Estando concluída e fazendo fé no anuncio que estava na placa que avistei anteriormente, esta vai ligar Monção/Valença/Monção.

Em Valença, e mantendo a tradição, existia uma feira e uma enorme confusão de transito, consequentemente muitos problemas para a minha esposa circular. Aqui tivemos de parar para nos abrigar da chuva, já que parecia termos entrado num campo de milho com o sistema de rega no máximo de débito, só visto...

A minha preocupação em não querer “queimar” esta primeira incursão da minha esposa em aventuras ciclistas levou-me, aqui, a pensar seriamente em regressar de automóvel até Viana do Castelo. No entanto mais uma vez ela não quis desistir e inclusivamente disse que: “Quando estava a chover mais e sentia a chuva a bater na cara e a agua a escorrer, só me apetecia rir à gargalhada...”

Até Vila Nova de Cerveira digno de registo apenas a quantidade estúpida de chuva e vento, além de pela primeira vez encontrarmos em sentido contrário um casal num Taden (bicicleta de duplo lugar). Ao entrarmos nesta cidade fomos para a zona ribeirinha e entramos pelas muralhas dentro direcção ao centro, de novo uma forte chuvada fez-nos resguardar e entramos num café de forma a comer algo quente. Aqui encontramos um bolo que desconhecia em absoluto mas que passo a recomendar vivamente e cujo nome é Cerveirenses. Um manjar dos deuses.

Durante este lanche equacionei a hipótese de realizar-mos a totalidade do percurso até Viana de forma a acabarmos mais cedo a molhada aventura. Ficou no ar para ser analisada mais à frente talvez em Caminha.
Em Caminha, continuando debaixo de mau tempo com muito vento à mistura, nem entramos nesta localidade. Fizemos a estrada junto ao Rio Minho e seguimos com destino a Viana do Castelo.

Conclusão:

Valeu pela participação da minha esposa nesta aventura e pela experiência adquirida. Na próxima não descurarei o factor meteorologia. Levar Sacos Cama e Tenda quando as previsões da meteorologia são negras é uma má opção! São no mínimo 8 kg a carregar nas bicicletas. Espero voltar e realizar este trajecto de outra forma, com CALOR, rios de CALOR, que me permita desfrutar na companhia da minha esposa, do Minho em todo o seu esplendor.

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal