Etapa 16 - Bike105

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Etapa 16

Aventuras > Travessia de Portugal
Sta Clara - Rogil (14/06/2003)

Distancia: 60 Kms -----------------Desnível acumulado: 1329 mts

Após o briefing de ontem, entre mim e o Magalhães ficou acordado que hoje apenas iniciamos a Etapa após tomar o pequeno almoço. Desta forma foi-me possível descansar mais algum tempo de forma recuperar do dia de ontem.

Considerando a distancia de tempo que já passou entre a Travessia e a altura em que escrevo este relato, posso garantir que foi a decisão mais acertada.

Depois do pequeno almoço tomado e fecho de contas com a Pousada e devidamente preparados, verificamos que o grupo do nível 1 ainda estava algo atrasado, por isso decidimos seguir de imediato ganhando assim uma ligeira vantagem.

Após umas centenas de metros fomos confrontados com uma verdadeira parede a vencer, manda a tradição que assim seja. Depois fomos descobrindo parte dum Algarve totalmente desconhecido para mim, onde podemos apreciar a imensidão das paisagens. Antes de iniciarmos a parte mais dura da etapa, segundo a organização, encontramos mais uma vez uma zona de assistência extra, composta pela Sr.ª Carmo e pela Esposa do Bruno.

Deixamos esta simpatiquíssima assistência e iniciamos a parte "dura" da etapa com verdadeiros ascendentes onde muitas vezes não me restou outra opção que não fazer a pé. Mas é sabido que após uma grande subida existe sempre uma descida, desenganem-se aqueles que julgam que nas descidas não se sofre... Quando cheguei ao final da primeira, senti fortes dores nos pulsos já que por diversas vezes a travagem tinha de ser muito forte o que no meu caso provocava que a roda traseira levantasse diversas ocasiões.

Numa subidas, quando ia calmamente a pé, passou por mim um individuo de Btt que mal falou, e não foi por falta de fôlego já que arrancou a uma velocidade tal que parecia ir em plena competição. Alguns metros à frente poder reencontrar este "bêtêtista" já que tinha optado por um trilho incorrecto o que demonstrava o seu pouco potencial a navegar por GPS. Tornou a passar por mim a grande velocidade e não mais o tornei a ver. A atitude do dito motivou junto de um grupo de participantes que vinha em conjunto um profundo desagrado pela postura. Vim a saber que esta figura estava a treinar para a Super Travessia...

Como o avanço que tinha-mos neste dia era diminuto rapidamente começamos a ser absorvidos por alguns participantes que nesta Etapa utilizaram o GPS, consequentemente também pelo nível 2 que era o ultimo grupo a partir.

Até que alcançamos um acampamento Hippie, sim em Portugal e em pleno Algarve!! Podem ser Hippie mas, definitivamente não são estúpidos pois o acampamento estava localizado junto a um rio onde corria água cristalina. Constou que a alguns participantes ofereceram vinho de fabrico caseiro, não existe conhecimento de alguém que tenha aceite. Oh meus senhores, medo dos produtos naturais???...

Chegamos finalmente ao Rogil e ai podemos retemperar as forças num café local onde se fala Português, sim porque no "Algarve de Catálogo" a língua portuguesa é língua alternativa!!!

Ficamos hospedados na Casa Alcatruz e ai foi-nos servido o jantar onde tivemos o privilégio de um cozinheiro só para este grupo.

Uma noite inesquecível pois aqui foi entregue a cada participante a famosa T-Shirt da Travessia. Não encontro palavras que descrevam aquilo que senti ao receber das mãos do António Malvar a T-Shirt comprovativa da realização total da Travessia de Portugal em Btt.

Amanhã temos a Etapa final, por mim os sentimentos são contraditórios pois se por um lado estou triste por acabar estes dias a fazer uma coisa que gosto, por outro estou contente por regressar para junto da minha esposa e filha após este 17 dias. 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal