Etapa 5 - Bike105

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Etapa 5

Aventuras > Caminho Santiago (Norte)
Laredo - Santander (29/07/2006)
Distância: 42 Kms -----------------Desnível acumulado: 461 mts

Relato do Peregrino:
Tinha plena consciência que não poderia continuar com a mesma situação no que ao pé diz respeito. Utilizo umas alturas de corticite no sapato do lado direito de forma a compensar deficiências no pé, e estas, que foram feitas e testadas antes de vir para esta aventura, serviram para andar um dia isoladamente mas não em dias continuados. Era imperioso que as alterasse de forma a aliviar a pressão nas feridas. A única forma seria encontrar uma ferramentaria e comprar uma grosa (lima de madeira) e um tubo de cola. Agora imagine a figura de alguém no chão a limar um pedaço de cortiça… que figura. Depois das alterações senti-me de tal forma bem que nem queria acreditar.

Este foi um dia de descanso, quer pelos km quer pelo desnível. Logo de manhã fomos comprar fruta. Os espanhóis não utilizam a frita como comer de restaurante. Acontece que quem tem a fruta como um componente regular na sua alimentação acaba por sentir a sua falta. Também fomos a uma farmácia para comprar compressas.

Em Colindres fui a um posto de turismo para carimbar a Credencial. Aqui pedi informações sobre o Caminho, se este era ciclavel ou não. A simpática jovem esclareceu qual o melhor Caminho a seguir e prontificou-se para contactar a empresa que fazia o transporte de passageiros por barco até Santander para saber se poderíamos atravessar com a bikes. Fomos realmente muito bem atendidos.

Antes de chegarmos a Somo encontramos mais uma ciclovia desta vez paralela à estrada Nac. Muito bem conservada e com parques de descanso com água arvores e bancos. Somo também foi o local de embarque de passageiros e bikes. Muito original: O barco não é amarrado, eles encostam a frente do barco a umas escadas e deixam estar o motor em força, isso permite que o barco fique quieto e os passageiros saiam ou entrem consoante o caso. As bikes foram constantemente a mexer com os balanços do barco o que era de alguma forma preocupante já que não existia qualquer resguardo caso elas deslizassem em demasia… O homem que fazia o cobrança dos tikets e organizava o barco lá me ida dizendo “ No passa nada” .

Nesta etapa o desnível foi baixo relativamente ao que estávamos habituados, mas o calor a aparecer com maior intensidade. Os problemas do pé, fruto das alterações efectuadas e da baixa quilometragem, foram menores. Este facto fez-me levantar o ânimo, já que ontem estava de rastos.

Mais uma vez preferimos utilizar um hotel em detrimento do albergue. Pensamos que assim poderemos descansar melhor. No posto de Turismo de Santander deram-nos uma lista de todos os Hotéis, com a respectiva morada, classificação e preços. Que grande eficácia. Foi só escolher, dirigirmo-nos para lá e, já está. Outra particularidade é a existência de bikes de aluguer mesmo junto ao posto de turismo.

Não sei se pelo facto de ser fim-de-semana, ou também, por estar a decorrer um festival de música, esta cidade tem um movimento de pessoas equivalente ao do Rosio (Lisboa) numa hora de ponta.

Jantamos num restaurante e de seguida demos um pequeno passeio por uma movimentadíssima rua.

Como facto curioso ao sairmos do elevador deparamos com umas portas dos quartos com aparência de grandes obras. De facto é uma muito original forma de decoração destas.

Lavamos mais uma vez roupa e também mais uma vez estendemo-la com recurso à imaginação e cordas de apoio.


Relato da Peregrina:
Hoje a etapa foi muito soft. Depois de sairmos do Hostal que era do século passado, andamos a comprar algumas coisas que nos faziam falta em Loredo. Iniciamos a etapa que foi quase sempre a direito, só poucos km antes de Santander é que tivemos uma subidazita que a mim me custou muito, porque hoje para além de estar muito calor, chegamos a apanhar 40 graus, eu hoje não estava muito bem pois doía-me os músculos das pernas. Depois de algumas paragens, chegamos a Somo para atravessar de barco para Santander que tem uma grande baía e é muito bonito, é uma cidade que me parece antiga mas muito bem cuidada, pelo menos na parte onde ficamos.

Apesar de a etapa hoje ter sido mais curta, custou-me mais a fazê-la. Espero recuperar esta noite para amanhã estar em forma. 

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal