Maratona da Ota - Bike105

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Maratona da Ota

Maratonas
Maratona da Ota
Numero facultado pela organização
Como a Maratona da Ota decorre bem perto da minha casa e porque já algumas vezes tinha pensado em voltar a participar numa Maratona, decidi participar. As diferenças que encontrei foram muitas, quer positivas quer negativas.

O nível físico e técnico da maioria dos participantes, é muito maior. A maioria das bikes que visualizei são de gama média/alta e alta.

Esta evolução também trouxe aspectos negativos: Quando alguém avaria ou fura, raros são aqueles que oferecem ajuda. Aquela convivência quase familiar que outrora existia, deixou de existir. O aspecto competitivo tomou o lugar de maior importância. É pena esta alteração, já que se perde aquele clima de verdadeira festa e convívio entre gentes que em comum tinham o gosto pelo Btt.

Depois de estacionar o carro num dos parques que a organização preparou para este dia, fui recolher a placa para aplicar na bike. Já nesta altura pude aperceber-me que o número de participantes seria elevado. No primeiro contacto com a organização pude verificar que o número de pessoas envolvido era elevado. Bom sinal!
Ainda encontrei alguns companheiros de outras aventuras, embora em menor numero do que estava à esperava já que esta é uma Maratona “às portas” de Lisboa.

De forma sintética passo a enumerar qual a minha opinião sobre os diversos aspectos desta Maratona:

Aspectos positivos :
Boa marcação geral do circuito.
Boa colocação e excelente ideia a das placas de Perigo.
Reabastecimentos com bom equilíbrio entre quantidade e qualidade.
Muita gente da organização pelo percurso e em pontos-chave.

A Rever :
Horário de fecho para a segunda parte do percurso.
Este comentário deve-se ao facto de eu ter parado 4 minutos (dados gps) no primeiro reabastecimento, chegar à Ota pelas 12.05h e com uma média de 15 km/h. Acontece que quando procurei pela continuação do percurso fui informado que o mesmo já se encontrava fechado... Não aceitei esta condicionante, e após algum diálogo com o indivíduo da organização, este lá disse por onde deveria seguir. Este é, na minha opinião, um ponto a rever já que apenas alguns (poucos) puderam chegar dentro deste limite. Isto não é uma prova de XC, ou é?

A Alterar :
As duas descidas que tinham sinal de Perigo-Desmontar.
Não entendo qual a mais valia destas descidas para o Raid. Foi-me dito que alguns tinham descido montados...??? Em minha opinião a primeira era verdadeiramente suicida. Aqui um erro poderia ser fatal. Para a organização é um enorme risco e, volto a dizer, totalmente desnecessário. No caso de existir um acidente, independemente de poder existir assistência mais ou menos rápida e do seguro cobrir os gastos, certamente a organização vai ser “metida em xeque” pela escolha deste tipo de trilhos. É apenas um alerta para algo que, sinceramente, espero nunca venha a acontecer.

Conclusão :
Foi divertido, gostei dos trilhos (com as duas excepções descritas) e se o nível de dificuldade continuar neste patamar, reconheço neste Raid um enorme potencial.

Parabéns à organização!

Em 2006 voltarei! 

Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal